Carta ao Pai - Franz Kafka

terça-feira, 2 de abril de 2013

Escrita em 1919, entre os dias 10 e 20 de novembro, Carta ao Pai é o relato mais sincero e direto entre um filho e o pai. Demonstra toda a tristeza e dominação de um pai que não dá voz ao filho e toda vez que o fez, o cerceou de forma cruel e insensível.


Carta ao Pai, do escritor tcheco Franz Kafka, nasce após o desentendimento do autor com seu pai, Hermann Kafka, sobre a escolha de sua noiva, com a qual nunca se casou. Hermann achava a relação inapropriada já que ela era pobre. Dado o desentimento e depois de tantos anos subjugado dentro de uma casa onde os exemplos sempre foram diversos das ordens, Kafka coloca tudo para fora em uma enorme carta ao pai.

Logo no início perebe-se a dor e a não aceitação do escritor para com a postura de seu pai. Lendo todo o relato, nota-se um Hermann rígido e intransigente, que afugenta Kafka de seus desejos e inclinações. Uma delas, a da escrita. O pai nunca aceitou sua aptidão com as palavras, embora seja verdade que nunca tenha sido favorável a nenhuma das escolhas do filho - nem as decisões profissionais nem as mulheres que Kafka escolheu para se relacionar.


Carta ao Pai poderia passar incólume a todos nós, já que se trata de um relato frio e cruel sobre a própria vida, e não considerado uma novela, mas é a partir dela que se entede o profundo sentimento de exclusão, despotismo e desconstrução do ser que tanto o escritor empregou em seus personagens. O mais célebre deles, Gregor Samsa, homem comum que um dia acorda metamorfoseado em uma enorme barata. A partir de então, a família de Gregor o tranca em um quarto, esquecendo-se que quaisquer relações que havia anterior à metamorfose e tratando-o como a um estrangeiro em sua própria casa.

Lendo A Metamorfose, tendo o olhar crítico de quem sabe da relação do autor com seu pai, percebe-se a grande influência do ânimo do autor em sua novela. Um ser que é intimidado, esquecido, subjugado, trancado; todas as hunilhações e sentimentos a que Kafka fora submetido por seu pai durante a infância, adolescência e a vida adulta.

A influência negativa do pai, no entanto, não abala a admiração que o escritor tem, de certa forma, para o pai, haja vista que no livro Kafka preocupa-se em avaliar a posição de Hermann não só como ser humano, considerado tão desprezível, mas como o pai que provém o futuro e sustento dos filhos.

Carta ao Pai é leitura indispensável para quem gosta da literatura kafkiana e do caos criado por suas novelas e contos. É um relato seco, sujo e pontiagudo sobre a relação de um filho e seu pai, suas vontades reprimidas, suas desavenças mais constantes e o amor que tenta tomar o lugar que merece, mas que não encontra espaço.

AUTOR

Franz Kafka, nascido em Praga, na República Tcheca, formou-se em direito em 1904, tendo trabalho como advogado até o final de sua vida. Pouca coisa fora publicada enquanto o escritor esteve vivo e o resto de seus escritos, confiados ao amigo Max Brod, foram publicados após a sua morte - contrário ao pedido de Kafka, que pediu que todos eles fossem queimados. Nascido em 1883 e falecido em 1924, após uma tuberculose que o acometera sete anos antes, Kafka não se casou, apesar de ter se relacionado com algumas mulheres, e não teve filhos. Não tendo sido reconhecido em vida, após sua morte é considerado um dos grandes nomes da literatura mundial, figurando entre os melhores do século XX.



Um comentário:

  1. Nessas horas que vejo o quão clássica (não) sou.
    Nunca ouvi falar sobre o "Kafka" tampouco sobre seu trabalho mas parece ser bem interessante.

    :)
    E viva a cultura da Corrente Literária. haha

    ResponderExcluir