Sobre o Dia Internacional da Mulher

sexta-feira, 8 de março de 2013



"Gravidez, menstruação, menopausa, cólica, celulite e amigas falsas. Parabéns mulheres, vocês são guerreiras!"


Que lindo o Dia Internacional das Mulheres! Homens, levem suas mulheres para jantar e... Não, espera, tem algo errado nessa história. Por que esse dia existe mesmo?

Se você usa redes sociais, email ou conversa com as pessoas, com toda certeza você viu mensagens como essa acima no dia de hoje. Mas é isso mesmo? Mulher tem um dia pra receber flores, sair pra jantar e ganhar presentes sem ter nenhum motivo plausível, apenas por serem mulheres? Não! Por trás desse dia existe uma história que é minimamente divulgada pela mídia.

No dia 8 de Março de 1857, 130 mulheres morreram queimadas no interior de uma fábrica em Nova Iorque. Operárias têxteis que entraram em greve reivindicando melhores condições de trabalho, a redução da jornada de trabalho de 16 horas para 10 horas. Mulheres organizadas coletivamente morreram em luta e, em memória à essas mulheres, a proposta da socialista alemã Clara Zetkin foi aprovada e foi instituído o Dia Internacional da Mulher, em 1910 em Copenhague, na Dinamarca. 

Em 1915, Clara Zetkin faz uma conferência sobre a mulher, nesse mesmo ano, Alexandra Kollontai organiza uma reunião contra a guerra. Na Rússia, a comemoração do Dia Internacional da Mulher foi o estopim da Revolução Russa de 1917, mulheres da industria têxtil protestavam contra a fome, contra o czar Nicolau II e contra a participação do país na Primeira Guerra Mundial. Já após a Revolução de Outubro, Alexandra convence Lenin a tornar uma data oficial, com isso, durante o período soviético houve a comemoração da "Heróica Mulher Trabalhadora". 

Diversas lutas compostas por mulheres ficaram marcadas na história, tantas outras manifestações da classe trabalhadora feminina reivindicaram direitos que hoje são constituídos, esse dia está sempre ligado diretamente às lutas contra as condições insalubres e perigosas de trabalho. Porém, logo essa data perdeu sua questão política e tornou-se apenas mais uma data para estimular o consumo e uma oportunidade "para os homens mostrarem seu amor pelas mulheres", ideia que, infelizmente, permanece massificada até hoje.

O importante é ter em mente que a luta das mulheres continua e é todos os dias. Mulheres que vivem em jornadas duplas (e tripla) de trabalho, que trabalham nas fábricas e ainda são obrigadas pelo machismo impregnado na nossa sociedade, a cuidar da casa, dos filhos e do marido. Mulheres que são tratadas como mero objeto de desejo sexual, como rosto bonito, como consumidora de produtos cosméticos. Mulheres que são agredidas verbalmente, psicologicamente e fisicamente todos os dias por seus companheiros. Mulheres julgadas por suas posturas, orientações sexuais, escolhas e vestimentas. Mulheres que não são valorizadas em seus espaços ocupacionais, e tantas outras questões, pautas de lutas das nossas mulheres! Mulheres como Simone de Beauvoir, Alexandra Kollontai, Marie Curie, Rosa Luxemburgo, Clara Zetkin. Mulheres que lutaram, mulheres que lutam todos os dias para sobreviver!

Hoje não é dia de ganhar presentes e sair para jantar, hoje é dia de luta, resistência. Quero hoje, os direitos da mulher assegurados, quero o respeito, quero ser mulher!

Deixo como dica algumas declarações feitas por Simone de Beauvoir:








"NINGUÉM NASCE MULHER, TORNA-SE MULHER!" (Simone de Beauvoir)


Nenhum comentário:

Postar um comentário