Sobre Câncer de Mama

segunda-feira, 4 de março de 2013


Que existem diversas campanhas de prevenção ao câncer de mama direcionadas às mulheres, todo mundo sabe, mas a questão é muito mais ampla do que a gente imagina. A fala típica do "Ai, não vai acontecer comigo" pode ser usada para esse tema perfeitamente. Sim, mulheres e, para a surpresa de muitos, homens nunca imaginam algo assim. Pois é, gente, homem também pode desenvolver câncer de mama!

Segundo dados estatísticos fornecidos pelo INCA - Instituto Nacional de Câncer - 147 mortes decorrentes do câncer de mama, em 2010, no Brasil, foram de homens. É um número significativamente menor ao de mulheres, que chegou a 12.705 mortes nesse mesmo ano. Porém, ter uma incidência menor não tira a importância que homens devam dar ao assunto. Sendo assim, ambos os gêneros devem estar atentos as informações à seguir. 



O corpo humano é formado por trilhões de células e cada uma delas possuí uma função específica. O câncer é uma patologia onde ocorre o crescimento desordenado de algumas dessas células nos lugares mais variados, nesse caso, na mama. Essas células tendem a dividir-se rapidamente, acabam tornando-se agressivas e cada vez mais incontroláveis. Em conjunto, tais células descontroladas formam pequenos tumores malignos que tendem a crescer e, em alguns casos, gerar metástases.

Não há como determinar exatamente o que causa câncer de mama, as variáveis são inúmeras nesse assunto, porém, para ajudar no entendimento, conseguimos dividi-las em duas principais origens: causas internas e causas externas. As causas internas são aquelas que vem do próprio organismo, na maioria das vezes, pré-determinado geneticamente com base no sistema de defesa do indivíduo. Já as causas externas são as provenientes dos meios onde esse indivíduo vive, seus hábitos e costumes. Ambas ainda podem estar inter-relacionadas. Com essas dificuldades em determinar exatamente as causas da doença, é necessário manter-se atento às recomendações: manter hábitos de vida saudáveis (boa alimentação e fazer exercícios físicos regularmente evitando a obesidade, uma vez que esta aumenta o risco de desenvolver a doença), evitar a ingestão de álcool, prevenir-se ao se expôr as radiações ionizantes, manter níveis baixos de estresse e, principalmente, mas não exclusivamente, quando já há histórico de câncer na família, manter exames de rotina sempre em dia. Ainda hoje, um dos fatores que aumenta positivamente as chances de cura em casos de câncer, não só de mama, é conseguir detectar a presença de nódulos ainda no começo. E em relação ao autoexame (saiba mais AQUI), ele não deve ser o único método para detectar nódulos, sendo INSUBSTITUÍVEL a consulta com especialistas. Lembramos que apenas um profissional especializado na área é capaz de diagnosticar o câncer, com auxílio de tecnologias para exames como a mamografia (exame radiográfico que permite a detecção precoce do câncer).

NOTA: Segundo a Lei 11.664, de 2008, todas as mulheres tem direito à mamografia à partir dos 40 anos. Tal lei entrou em vigor em 29/04/2009, reafirmando o que já era estabelecido pelo SUS. Na pesquisa bibliográfica realizada, não foi encontrada lei que garanta o direito do homem para tal exame. Em campo também há o desconhecimento por ausência de demanda.



Com seu desenvolvimento, o câncer passa a deixar alguns rastros que podem ser percebidos nos seguintes  sintomas.

Para a mulheres: 


Para o homens: 




O surgimentos de nódulos indolores no mamilo, gerando irritação e coceira é o principal sintoma. Também pode haver alterações na forma do mamilo (bico retraído ou pele grossa e avermelhada e secreções).



"Quanto antes for diagnosticado, melhor o prognóstico. 
Pois, como na mulher, os índices de cura para o 
diagnóstico precoce são de cerca de 80% a 90%, 
enquanto que, se descoberto tardiamente, este índice 
cai brutalmente, atingindo apenas 10% a 20% dos casos”,
revela o cirurgião oncológico do Hospital e 
Maternidade São Luiz (São Paulo), Renato Santos."




Apesar de tudo o que foi abordado, ainda há algo que aumenta os riscos de morte quando falamos em câncer de mama, a ignorância. Divulguem essas informações e não contenham-se em apenas com elas, os sites do INCA e de campanhas de prevenção possuem referências bibliográficas seguras sobre o assunto:

- INCA 

Complemento:

Durante a pesquisa para a formulação desse post, encontramos a campanha "Toque-se" que visa aumentar a visibilidade do conhecimento a respeito desse tema. Participe também!

A equipe C.L. está presente na luta contra o câncer de mama!

Nenhum comentário:

Postar um comentário